segunda-feira, 23 de novembro de 2009

A metade podre da laranja


O amor, oh amor.
Desde que somos criancinhas é implantado em nossas cabecinhas a idéia do grande amor de nossas vidas.
A tampa da sua panela,a unha encravada do seu pé, o principe ou princesa encantada.
Enfim acabam nos ensinando que os relacionamentos afetivos são a grande fonte do amor e nossa única chance de ser feliz.
Realmente a felicidade está ligada ao amor, sim existe esse elo.
O amor é algo tão maior que não vai se restringir somente isso, posso nunca vim a amar alguém.
Nunca encontrar a minha metade da laranja.
Mas serei feliz!
Feliz pelo amor de abrir a janela de manhã ver o céu azul e a luz irradiante do sol. O amor de sentir as gotas de chuva enquanto giro loucamente , dançando em poças dagua em um dia chuvoso.
O amor de um dia poder ter meu próprio brotinho gerado dentro de mim.
E não será por culpa da minha metade da laranja estar podre que eu vou ser infeliz.

2 comentários:

Igor disse...

prefiro um milhao de vezes o amor da gotinha de chuva do q o amor de um homem e uma mulher, a gotinha vai estar la a cada chuva, se vc sentir saudade vc vai em uma cachoeira, mais o amor entre um homem e uma mulher depende da sorte dos dois sentirem uma "quimica" relacionada a complexas nuances de afinidade. E ainda corre-se sempre o risco de escolher o amor errado. Ja a gotinha sempre esta la, e se ela te ama ou nao vc nunca vai saber, e as vezes é melhor assim...

João Carlos Pires de Pires disse...

Amor, quatro letras que denotam sentimentos diferentes em cada indivíduo. Para que tu ames alguém, não precisas ser o espelho do outro como muitos imaginam. Tu não tens de ti transformar para caber no mundo de alguém. Tu tens de continuar a ser o que sempre foste, por que não é a pessoa quem encontraste que vai reger tua vida doravante. Isto não é amor; e acomodação e sendo assim não dura muito tempo uma vez que ninguém será como o outro é. Cada indivíduo tem sua personalidade e esta jamais será mudada em prol de um outro ser!